quarta-feira, 18 de julho de 2012

a lavra da palavra quero




re-invento a palavra ana
que seja mais que sagarana
na minha melhor sagaranagem
onde nela possa o tempo
re-inventar o que posso
 na língua dessa   linguagem


re-invento a palavra claudia
na lavra que ela mais gosta
pode ser que seja vento
fogo brisa tempestade
dama de espada do jogo



re-invento a palavra lobo
muito mais que liberdade
amor desejo saudade
onde quer que lá esteja
a palavra que deseja
onde eu mais possa criar
xangô oxum na mesma água
se alimentando das algas
que re-inventamos no mar 


artur gomes
www.poeticasfulinaimicas.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário